• FECHAR PUBLICIDADE

    A paralisação do esporte começa a trazer consequências para o lado financeiro dos atletas. Na noite de quinta-feira, após uma decisão tomada pelo Conselho de Administração em uma reunião realizada por videoconferência, o Barcelona anunciou que reduzirá os salários de seus jogadores e funcionários para diminuir os efeitos econômicos da crise causada pela pandemia do novo coronavírus.

    Todos os atletas profissionais de Barcelona – incluindo o argentino Lionel Messi, eleito seis vezes como o melhor jogador de futebol do ano – terão uma redução salarial obrigatória durante o período de quarentena, que ainda não tem data para acabar.

    “A paralisia do esporte na Espanha como consequência da pandemia do covid-19 significou a interrupção de todas as atividades, esportivas e não esportivas, do nosso clube. Diante desse cenário, o Conselho de Administração decidiu implementar uma série de medidas para mitigar seus efeitos e reduzir os efeitos econômicos dessa crise”, disse o Barcelona em um comunicado oficial.

    “Basicamente, é uma redução da jornada de trabalho, imposta pelas circunstâncias e pelas medidas de proteção adotadas e, como consequência, a redução proporcional da remuneração prevista nos respectivos contratos. Desejamos implementar algumas medidas, seguindo regulamentos formais de trabalho, sob os critérios de proporcionalidade e, acima de tudo, de capital”, acrescentou o clube catalão, sem dar mais detalhes sobre os valores dessas reduções.

    A Espanha está em quarentena desde o último dia 14 e seus cidadãos só podem deixar as suas casas para realizar assuntos essenciais. O período de confinamento deve se estender neste fim de semana após o término do período inicial de 15 dias.

    O país ibérico é o segundo mais afetado na Europa pela pandemia atrás da Itália, com um número de mortos superior a 4 mil. Mais de 56 mil pessoas testaram positivo para o novo coronavírus.

    Compartilhar em:

    27 março 2020
    KARLOSILVA

    O plenário da Câmara dos Deputados aprovou na noite de ontem (26) o pagamento de um auxílio emergencial por três meses, no valor de R$ 600, destinados aos trabalhadores autônomos, informais e sem renda fixa durante a crise provocada pela pandemia de coronavírus. O próximo passo até a implementação da medida é a aprovação pelo plenário do Senado. Após o Senado, o texto ainda precisa ser sancionado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro. Só após essas etapas, o governo federal deverá divulgar o calendário de pagamento.  A aprovação no Senado deve acontecer na próxima semana, já que hoje (27) não haverá votação. 

    Inicialmente, o valor proposto era de R$ 500. Após negociações com o líder do governo, deputado Vitor Hugo (PSL-GO), o Executivo decidiu aumentar para R$ 600. 

    Em transmissão ao vivo pela internet realizada ontem, o presidente destacou que o auxílio é voltado aos trabalhadores informais (sem carteira assinada), às pessoas sem assistência social e à população que desistiu de procurar emprego. A medida é uma forma de amparar as camadas mais vulneráveis à crise econômica causada pela disseminação da doença no Brasil, e o auxílio será distribuído por meio de vouchers (cupons). 

    Os trabalhadores deverão cumprir alguns critérios, em conjunto, para ter direito ao auxílio:

    – ser maior de 18 anos de idade;- não ter emprego formal;- não receber benefício previdenciário ou assistencial, seguro-desemprego ou de outro programa de transferência de renda federal que não seja o Bolsa Família;- renda familiar mensal per capita (por pessoa) de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar mensal total (tudo o que a família recebe) de até três salários mínimos (R$ 3.135,00); e- não ter recebido rendimentos tributáveis, no ano de 2018, acima de R$ 28.559,70. Pelo texto, o beneficiário deverá ainda cumprir uma dessas condições:

    exercer atividade na condição de microempreendedor individual (MEI);- ser contribuinte individual ou facultativo do Regime Geral de Previdência Social (RGPS);- ser trabalhador informal inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico); ou- ter cumprido o requisito de renda média até 20 de março de 2020.

    Pelas regras, o trabalhador não pode ter vínculo formal, ou seja, não poderão receber o benefício trabalhadores formalizados pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e servidores públicos.  Pela proposta, também será permitido a duas pessoas de uma mesma família acumularem benefícios: um do auxílio emergencial e um do Bolsa Família. Se o auxílio for maior que a bolsa, a pessoa poderá fazer a opção pelo auxílio. O pagamento será realizado por meio de bancos públicos federais via conta do tipo poupança social digital. Essa conta pode ser a mesma já usada para pagar recursos de programas sociais governamentais, como PIS/Pasep e Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), mas não pode permitir a emissão de cartão físico ou cheques.

    LP LOCAÇÕES

    Com a fala, na terça (23), do mandatário da nação, querendo acabar com o isolamento social em função, segundo ele, “para salvar a economia”. Logo reapareceram, e não poderia ser em pior hora, os apoiadores e opositores Bolsonaristas, em debates estéreis, chulos, desarrazoados em total falta de respeito ao povo Brasileiro.

    Nestes tempos sombrios onde a nação está sendo invadida, rapidamente, pelo coronavírus e a COVID-19, onde já foi decretada a situação de calamidade pública, e a cada três dias o número de infectados aumenta dobrando.

    E sem entrar no mérito da discussão débil:

    Devemos sim seguir a orientação da OMS – Organização Mundial de Saúde, do Ministério da Saúde e Secretarias de Saúde e entidades médicas, em relação ao isolamento social e que um terço do planeta, inclusive a Europa também está praticando.

    Devemos sim, seguir exemplo dos Americanos, que vão investir dois trilhões de dólares em sua economia para ajudar à pequena empresa, desempregados e até aqueles que não possuem o cartão verde.

    Ainda, durante algum tempo, é imperioso seguir com o isolamento social.

    ENTRETANTO, TODAVIA…

    Está na ordem do dia, que o poder público nacional tem a obrigação e o dever de, rapidamente:

    Esquecer por enquanto do ajuste fiscal;

    Priorizar a saúde dos Brasileiros;

    Também garantir subsídio em dinheiro às famílias carentes, ambulantes, feirantes e desempregados, através de novos programas sociais, preferencialmente aqueles já existentes;

    Chegar em socorro, com incremento financeiro às micro, pequenas e médias empresas, no sentido de garantirem os empregos existentes, como já é praticado na Alemanha.

    Por fim, mais uma vez na história, está provado que o “mercado”, tão endeusado por economistas de toda vertente, é incapaz de se contrapor a uma crise mundial como a do corona vírus. Servindo tão apenas para aumentar o poder dos detentores da riqueza.

    Em tempos de crise, recorre-se aos estados nacionais.

    Este é o capitalismo!

    Assim penso!

    Júnior Rebouças, 26/03/2020, São José de Mipibu

    LP LOCAÇÕES

    Principal empresa de consultoria do mundo para avaliação de risco político, a Eurasia mudou para pior as perspectivas do Brasil. Até a pandemia do coronavírus, a consultoria acreditava que, apesar da atitude beligerante do presidente Jair Bolsonaro, o Congresso avançava para a aprovação de reformas que levariam a maior crescimento econômico, alimentando um ciclo virtuoso, a longo prazo, para o País. “Esse ciclo se quebrou”, diz Christopher Garman, diretor da consultoria para as Américas. “E poderemos ter um ciclo vicioso.” Segundo Garman, por causa dos desdobramentos da crise do coronavírus, o País pode correr, inclusive, o risco de um conflito institucional mais sério, se o presidente Jair Bolsonaro, em reação a um enfraquecimento, continuar a apelar à retórica antipolítica. Tudo vai depender, na sua avaliação, de como será a reação do Palácio do Planalto, nas próximas semanas, ao aumento da propagação da doença.

    Compartilhar em:

    24 março 2020
    KARLOSILVA

    Os casos confirmados do novo coronavírus no Rio Grande do Norte subiram para 14, na manhã desta terça-feira (24) e o número de casos suspeitos saltaram para 478 (2 prováveis). De acordo com o último boletim da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) 63 cidades potiguares registram suspeitas da Covid-19. 

    No domingo (22) eram 13 casos confirmados no Rio Grande do Norte e 282 suspeitos. Ainda segundo o boletim da Sesap, 180 notificações foram excluídas e 44 descartados. O perfil dos casos suspeitos apresentado até o momento é predominantemente do sexo feminino, e na faixa etária entre 20 e 39 anos.

    União? Isso foi o que nunca existiu entre Norma e Kerinho, a ex-prefeita Norma detentora de duas legendas DEM partido que até hoje está nas mãos da família Ferreira e o PSD partido do ex-governador irmão, Robinson Faria, mas mesmo assim ele decide ir para o PL no estado de Kebler Rodrigues liderado pelo Federal João Maia.

    Para quem entende de política, a ida da ex-prefeita Norma para o PL nada mais é que uma estratégia política para minar seu maior adversário, Kerinho.

    Até agora, a ex-prefeita não mostrou nominata de vereadores, a não ser quatro gatos pingados para fortalecer o projeto de eleger o filho, Daniel Ferreira para a Câmara Municipal, e se der certo minar Kerinho, usará as nominata dele para fortalecer seu projeto político que é voltar ao poder.

    DO BLOG

    Foto: Reprodução da Internet (Norma e Dr Arízio

    Norma sai (de trás) das cortinas com as mesmas personalidades que ajudaram a administrar por dois mandatos, as caras serão as mesmas.

    Foto: Reprodução da Internet

    A quem diga que até a ex-secretária de saúde Solene Costa vem a Mipibu disputar uma cadeira na Câmara Municipal, quero eu acreditar que seja mentira, mas como em política tudo pode acontecer não se admirem.

    Coronavirus

    O número de casos confirmados de coronavírus no Rio Grande do Norte saiu de 9 para 13, conforme divulgou a Secretaria Estadual de Saúde na noite deste domingo (22). Só em Natal são 9 casos, de acordo com a Sesap.

    Os casos confirmados estão em três cidades: Natal (9), Parnamirim (3) e Mossoró (1).

    Compartilhar em:

    22 março 2020
    KARLOSILVA

    As eleições municipais estão chegando e é hora de analisar algo muito importante: A escolha de nossos representantes nas câmaras municipais.

    Antes de fazer sua escolha, reflita e responda as seguintes indagações:

    Vc sabe quais são as funções dos vereadores?

    Os representantes da sua cidade te representam?

    Qual o critério de escolha do seu candidato a vereador?

    Esse critério de escolha está fundamentado em conhecimento, interesse coletivo e honestidade?

    Os quesitos acima indicados são muito importantes na hora de escolher os integrantes da Câmara Municipal.

    Na minha cidade (São José de Mipibu), a Câmara Municipal está repleta de “legisladores parasitas”. Digo isso porque fiz uma pesquisa legislativa e constatei que, nos últimos 4 anos, o número de projetos apresentados pelo legislativo municipal é quase insignificante. Em 2018, por exemplo, apenas 4 leis complementares foram aprovadas e nenhuma delas teve iniciativa do próprio legislativo.

    Esses parasitas estão lá só pra ganhar o dinheiro e isso tem que mudar!

    Meu nome é GUSTAVO ROQUE e eu não tenho medo de criticar! Os vereadores de São José de Mipibu são ineficientes em suas funções legislativas. Um bando de parasitas e sanguessugas que estão lá só pra receber a remuneração.

    ISSO É UM VERDADEIRO ABSURDO!

    PRECISAMOS RETIRAR ESSES PARASITAS DE LÁ!

    VAMOS ANALISAR UM POUCO MAIS PARA FAZER MELHORES ESCOLHAS.

    NÃO VENDA SEU VOTO!

    NÃO VOTE POR SORRISO NO ROSTO E NEM POR APERTO DE MÃO!

    NÃO VOTE POR PROMESSA DE EMPREGO!

    Vamos escolher alguém que tenha conhecimento, capacidade, novas idéias e projetos que possam contribuir verdadeiramente com a melhoria do nosso povo!

    São José de Mipibu merece coisa melhor!

    Se vc leu essa mensagem até o fim, isso significa que vc está preocupado(a) com essas escolhas.

    Se vc gostou da crítica, compartilhe esse post e nos ajude a conscientizar o povo mipibuense na hora de escolher os nossos representantes.

    Um abraço a todos e fiquem com Deus!

    Texto escrito por Gustavo Roque (GUGA).

    Compartilhar em:

    22 março 2020
    KARLOSILVA

    O fato é que, enquanto a oposição briga, Figueiredo, candidato da situação avança nas alianças e acordos políticos.
    Figueiredo vem fechando vários acordos para as eleições e 2020 em diversas comunidades da cidade.

    Foto: Arquivo

    A briga entre Norma e Kerinho não demorou muito tempo para acontecer, uma união de fachada, um querendo matar o outro na briga pela permanência no poder, com a família fragilizada pela briga em 2012, Norma conseguiu reunir os cacos do que sobrou é com meia dúzia de apoiadores ‘nanicos’ vem deixando Kerinho sem dormir.


    Já Kerinho por outro lado ver que mesmo segurando a bandeira da oposição por 8 anos enquanto Norma viajava e não se importava com Mipibu, ver pelas mãos dos ferreiras uma derrota anunciada, mas esse cenário já se repetiu, em 2012 com a ida de Nadja Ferreira para apoiar Arlindo e Norma mesmo sendo prefeita deu apoio pela metade é em 2016 quando sem força nenhuma veio com o único objetivo, eleger o filho, Daniel Ferreira para vereador.
    A grande verdade é que, no caminho de Kerinho sempre terá o calo de um Ferreira, enquanto os dois se degladiam Figueiredo avança.

    DO BLOG
    De uma coisa tenho certeza, pelo que conheço Kerinho. Ele vai para a disputa preferindo dar a vitória a Figueiredo do que dar vida a Norma Ferreira, afinal de contas, quando eu disser que a jumenta morreu pode queimar a cangalha.

    Quem conviveu ou convive com Kerinho sabe de sua firmeza em dizer que é pré-candidato a prefeito, ao longo de oito anos enquanto Norma é demais opositores se escondiam do povo, ele fez o dever de casa esteve ao lado do povo fazendo política diuturnamente.

    Com Norma, sem Norma ele vai à luta e diz ter um discurso pronto para enfrentar as duas maiores oligarquias políticas mipibuenses, Dantas e Ferreira.

    DO BLOG

    O áudio de Severino Prefeito de Monte Alegre mostra a fragilidade da classe política mipibuense, afinal de contas, deixar políticos de outra cidade interferir na rotina do nosso povo mostra o despreparo dos nossos políticos.