• FECHAR PUBLICIDADE


    Com a proposta de oferecer à população do Rio Grande do Norte um canal direto para denúncias de crimes em geral, o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), órgão do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), agora conta com um Disque Denúncia. Basta o cidadão ligar gratuitamente para o número 127. A identidade da fonte será preservada.

    Além do telefone, as denúncias também podem ser encaminhadas por Whatsapp para o número (84) 98863-4585 ou e-mail para [email protected]. Os cidadãos podem encaminhar informações em geral que possam levar à prisão de criminosos, denunciar atos de corrupção e crimes de qualquer natureza. No Whatsapp, são aceitos textos, fotos, áudios e vídeos que possam comprovar as informações oferecidas

    “O MPRN está determinado a reforçar a sua contribuição para a defesa do cidadão e da vida no nosso Estado, valores maiores de uma política de segurança pública, além da natural manutenção de um combate firme à corrupção em todos os municípios do RN. É mais uma iniciativa do MPRN buscando cada vez mais resolutividade”, declarou o procurador-geral de Justiça, Eudo Leite.

    O promotor de Justiça Fausto França, coordenador do Gaeco, reforçou que a participação da população é fundamental para auxiliar nas investigações. “O serviço chega para funcionar como uma ponte entre o cidadão e o MPRN e esperamos que as denúncias possam facilitar as investigações como um todo”.

    Serviço:
    Disque Denúncia Gaeco
    Telefone: 127  (ligação gratuita)
    Whatsapp: (84) 98863-4585
    E-mail: 
    [email protected]

    Compartilhar em:

    30 março 2020
    KARLOSILVA

    O prefeito do município de São José de Mipibu, Arlindo Dantas, emitiu nota à população sobre as ações do Município no combate ao Covid-19, como também para orientar os mipibuenses no sentido de cumprir a quarentena e seguir as recomendações da Organização Mundial da Saúde – OMS, do Ministério Público e dos decretos editados pelo Governo do Estado do RN.

    Segue a Nota:

    NOTA À POPULAÇÃO

    Caros mipibuenses,

    Venho a público para repassar informações sobre as ações desenvolvidas pelo município, visando assegurar à população toda a assistência necessária no combate ao Conoravírus, pois com a chegada do primeiro caso confirmado, precisamos reforçar o apelo do “FIQUE EM CASA”.

    Importante ressaltar o essencial, que todos cumpram as medidas adotadas pela organização mundial da saúde, pelos decretos assinados pelo Governo do Estado e pelo Ministério da Saúde, que proíbem a aglomeração de mais de vinte pessoas em estabelecimentos comerciais, como também o funcionamento em empresas que possuem ventilação artificial e evitem aglomerações.

    No tocante ao nosso município, criamos um comitê de gestão formado por nossos secretários municipais, para acompanhar a eficácia e se necessário a ampliação das ações já empreendidas por meio da Secretaria Municipal de Saúde.

    Gostaria em nome do Município agradecer a todos os profissionais da nossa saúde, que estão nessa luta diária, à todos o nosso muito obrigado.

    Não poderíamos esquecer aqueles que atuam na vigilância sanitária, pedimos que continuem visitando os espaços públicos e privados, como também passando as informações à nossa população e que continuem com as ações de desinfecção das unidades de saúde.

    Também contamos nesse período com carro de som, além da divulgação de mensagens de áudio nas redes sociais, sobre os cuidados a serem adotados no combate ao Covid-19, na mesma linha da imprensa brasileira que tem dado informações a cada minuto.

    Importante também relatar que há mais de 60 dias iniciamos treinamentos com todos os profissionais da nossa rede, especialmente da UPA e dos Postos de Saúde, inclusive com os colaboradores do laboratório, que são fundamentais na coleta e na diagnose de casos suspeitos.

    Essa ação visava preparar e capacitar nossos profissionais para esse momento difícil, que sabíamos seria inevitável e, para isso, contamos inclusive com a participação de médicos infectologistas, que à todos sem exceção, nossa cidade e nossos vizinhos, tenho certeza, são gratos.

    Nesse sentido determinamos a suspensão temporária da feira livre, das aulas e o corte de despesas com atividades festivas, incluindo o tradicional São João, medidas que evitam a chegada de pessoas de outras regiões na nossa cidade, sem a utilização de equipamentos de proteção individual, podendo assim contaminar os nossos irmãos.

    Gostaríamos de informar que quaisquer recursos que aportarem em nosso solo serão destinados para a área de saúde, especialmente para proteção de nossa população, seja para suprir os nossos colaboradores de saúde, sendo para a UPA que é o local mais adequado para o aporte de qualquer recurso extra, porém informamos que até a presente data não chegou, muito pelo contrário, estamos convivendo com a escassez de recursos pela queda de arrecadação federal.

    No tocante a vinda de recursos para enfrentamento na área social, até o presente momento não houve aporte e qualquer recurso será discutido com o Comitê Municipal, que dará prioridade nas ações para atender principalmente os mais vulneráveis.

    Quero registrar que também estou respeitando o “FIQUE EM CASA”, pois tenho mais de 70 anos e, portanto, sou mais susceptível aos males da doença.

    A nossa parte estamos fazendo, nossos colaboradores da saúde estão treinados e capacitados para o manejo com o público, porém o enfrentamento dessa luta, que o mundo todo está sofrendo, também em nossa terra depende do empenho de todos.

    Recomendamos principalmente aos idosos e pessoas com baixa imunidade que fiquem em casa, e se caso morem com familiares, que estes também fiquem em casa e usem bastante água e sabão.

    Aos demais trabalhadores que não podem ficar em seus lares, respeitem os cuidados mínimos para evitar a propagação. Evitem a aglomeração e respeitem a distância mínima de 02 metros, e que morando com idosos ou portadores de patologias outras, evitem o contato e quem puder “FIQUE EM CASA”.

    Muitos querem fazer política com o problema, porém estamos adotando todas as medidas ao nosso alcance sem maiores alardes.

    Acreditamos que ao final, depois da tempestade, dias melhores virão.

    Que Deus nos ilumine e guarde!

    Arlindo Duarte Dantas

    Prefeito

    A confirmação vem da Secretaria Estadual de Saúde, São José entra para as estatísticas da pandemia mais termida no mundo, o Coronavírus.

    O ISOLAMENTO SOCIAL
    A cidade da região agreste tem adotado as indicações que preconiza a Organização Mundial de Saúde, mas mesmo assim o vírus chegou à cidade que teme é faz a sua parte não haver uma infecção em massa na cidade.

    SECRETARIA DE SAÚDE

    A prefeitura Municipal através da Secretaria de Saúde Municipal tem realizado ações de combate ao novo Coronavírus, mas salienta que é necessário a população fazer a sua parte e ficar em casa. Ainda segundo a Secretaria Municipal de Saúde, outros casos ainda estão sendo investigados, mas é preciso a população manter a calma e fazer o que pede as autoridades em saúde.

    DO BLOG
    A população mundial vive dias de desespero, mas é importante ressaltar que, a melhor maneira de eliminar ou diminuir a contaminação em massa é fazendo o distanciamento social.

    LP LOCAÇÕES

    Apesar das orientações divulgadas, parte da população de São José de Mipibu insiste em não acatar os cuidados que visam combater o coronavírus. Neste domingo(29) a Secretaria Municipal de Saúde divulgou boletim com o aumento de casos suspeitos com entrada na UPA.

    O secretário de Saúde do município, Jefferson Oliveira, volta a recomendar o cumprimento da quarentena, tendo em vista que nesta semana os casos tendem a aumentar se a população não permanecer em seus lares.


    “Os casos suspeitos estão surgindo numa escala crescente. É necessário que todos entendam a gravidade da situação e tomem os seus cuidados, recorrendo à unidade de saúde apenas com sintomas de febre alta  e dificuldade para respirar. Ir à UPA sem esses sintomas é entrar em área de risco. Outro agravante no município é a realização da feira livre onde a aglomeração e o contato direto entre as pessoas formam cenário ideal para o covid – 19”, alerta o secretário.

    Beto destina mais de 9 milhões para o combate ao coronavírus no RN

    O deputado federal Beto Rosado (Progressistas) remanejou R$ 9,6 milhões de emendas para serem investidos na saúde de vários municípios do Rio Grande do Norte.

    Segundo o parlamentar, do valor total, R$ 5 milhões serão destinados para a compra de equipamentos respiradores, importantes para o atendimentos dos pacientes com a COVID-19.

    “Estamos atentos às questões do Rio Grande do Norte e vamos combater o coronavírus da melhor forma possível”, diz Beto.

    O remanejamento é referente a emendas ao Orçamento 2020 e o pagamento deve ser feito de forma imediata.

    Com o isolamento político de Jair Bolsonaro em meio à crise provocada pelo coronavírus catalisou uma ofensiva dos filhos do presidente em defesa do seu governo. Nos últimos dias, o senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ), o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) intensificaram os ataques contra todos aqueles que eles consideram ser inimigos do pai, sejam eles governadores ou jornalistas. Pior: Carlos, que deveria estar no Rio, se encontra em Brasília participando até de reuniões com a alta cúpula do governo federal.

    O pronunciamento de Bolsonaro em rede nacional tem as digitais de Carlos e dos seus asseclas do chamado “gabinete do ódio”, onde funcionários pagos com dinheiro público monitoram a popularidade do presidente em redes sociais e gerenciam perfis destinados a atacar os críticos. O teor do discurso, com ataques a governadores e à imprensa, foi pensado com a ajuda desses assessores do núcleo ideológico do governo. Bolsonaro encomendou o texto após ter se irritado com os governadores do Norte e do Nordeste em videoconferências realizadas na segunda-feira, 23. Ele ficou incomodado com os pedidos feitos por gestores de estados que ainda não alcançaram números expressivos de casos de coronavírus.

    A paralisação do esporte começa a trazer consequências para o lado financeiro dos atletas. Na noite de quinta-feira, após uma decisão tomada pelo Conselho de Administração em uma reunião realizada por videoconferência, o Barcelona anunciou que reduzirá os salários de seus jogadores e funcionários para diminuir os efeitos econômicos da crise causada pela pandemia do novo coronavírus.

    Todos os atletas profissionais de Barcelona – incluindo o argentino Lionel Messi, eleito seis vezes como o melhor jogador de futebol do ano – terão uma redução salarial obrigatória durante o período de quarentena, que ainda não tem data para acabar.

    “A paralisia do esporte na Espanha como consequência da pandemia do covid-19 significou a interrupção de todas as atividades, esportivas e não esportivas, do nosso clube. Diante desse cenário, o Conselho de Administração decidiu implementar uma série de medidas para mitigar seus efeitos e reduzir os efeitos econômicos dessa crise”, disse o Barcelona em um comunicado oficial.

    “Basicamente, é uma redução da jornada de trabalho, imposta pelas circunstâncias e pelas medidas de proteção adotadas e, como consequência, a redução proporcional da remuneração prevista nos respectivos contratos. Desejamos implementar algumas medidas, seguindo regulamentos formais de trabalho, sob os critérios de proporcionalidade e, acima de tudo, de capital”, acrescentou o clube catalão, sem dar mais detalhes sobre os valores dessas reduções.

    A Espanha está em quarentena desde o último dia 14 e seus cidadãos só podem deixar as suas casas para realizar assuntos essenciais. O período de confinamento deve se estender neste fim de semana após o término do período inicial de 15 dias.

    O país ibérico é o segundo mais afetado na Europa pela pandemia atrás da Itália, com um número de mortos superior a 4 mil. Mais de 56 mil pessoas testaram positivo para o novo coronavírus.

    Compartilhar em:

    27 março 2020
    KARLOSILVA

    O plenário da Câmara dos Deputados aprovou na noite de ontem (26) o pagamento de um auxílio emergencial por três meses, no valor de R$ 600, destinados aos trabalhadores autônomos, informais e sem renda fixa durante a crise provocada pela pandemia de coronavírus. O próximo passo até a implementação da medida é a aprovação pelo plenário do Senado. Após o Senado, o texto ainda precisa ser sancionado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro. Só após essas etapas, o governo federal deverá divulgar o calendário de pagamento.  A aprovação no Senado deve acontecer na próxima semana, já que hoje (27) não haverá votação. 

    Inicialmente, o valor proposto era de R$ 500. Após negociações com o líder do governo, deputado Vitor Hugo (PSL-GO), o Executivo decidiu aumentar para R$ 600. 

    Em transmissão ao vivo pela internet realizada ontem, o presidente destacou que o auxílio é voltado aos trabalhadores informais (sem carteira assinada), às pessoas sem assistência social e à população que desistiu de procurar emprego. A medida é uma forma de amparar as camadas mais vulneráveis à crise econômica causada pela disseminação da doença no Brasil, e o auxílio será distribuído por meio de vouchers (cupons). 

    Os trabalhadores deverão cumprir alguns critérios, em conjunto, para ter direito ao auxílio:

    – ser maior de 18 anos de idade;- não ter emprego formal;- não receber benefício previdenciário ou assistencial, seguro-desemprego ou de outro programa de transferência de renda federal que não seja o Bolsa Família;- renda familiar mensal per capita (por pessoa) de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar mensal total (tudo o que a família recebe) de até três salários mínimos (R$ 3.135,00); e- não ter recebido rendimentos tributáveis, no ano de 2018, acima de R$ 28.559,70. Pelo texto, o beneficiário deverá ainda cumprir uma dessas condições:

    exercer atividade na condição de microempreendedor individual (MEI);- ser contribuinte individual ou facultativo do Regime Geral de Previdência Social (RGPS);- ser trabalhador informal inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico); ou- ter cumprido o requisito de renda média até 20 de março de 2020.

    Pelas regras, o trabalhador não pode ter vínculo formal, ou seja, não poderão receber o benefício trabalhadores formalizados pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e servidores públicos.  Pela proposta, também será permitido a duas pessoas de uma mesma família acumularem benefícios: um do auxílio emergencial e um do Bolsa Família. Se o auxílio for maior que a bolsa, a pessoa poderá fazer a opção pelo auxílio. O pagamento será realizado por meio de bancos públicos federais via conta do tipo poupança social digital. Essa conta pode ser a mesma já usada para pagar recursos de programas sociais governamentais, como PIS/Pasep e Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), mas não pode permitir a emissão de cartão físico ou cheques.

    Com a fala, na terça (23), do mandatário da nação, querendo acabar com o isolamento social em função, segundo ele, “para salvar a economia”. Logo reapareceram, e não poderia ser em pior hora, os apoiadores e opositores Bolsonaristas, em debates estéreis, chulos, desarrazoados em total falta de respeito ao povo Brasileiro.

    Nestes tempos sombrios onde a nação está sendo invadida, rapidamente, pelo coronavírus e a COVID-19, onde já foi decretada a situação de calamidade pública, e a cada três dias o número de infectados aumenta dobrando.

    E sem entrar no mérito da discussão débil:

    Devemos sim seguir a orientação da OMS – Organização Mundial de Saúde, do Ministério da Saúde e Secretarias de Saúde e entidades médicas, em relação ao isolamento social e que um terço do planeta, inclusive a Europa também está praticando.

    Devemos sim, seguir exemplo dos Americanos, que vão investir dois trilhões de dólares em sua economia para ajudar à pequena empresa, desempregados e até aqueles que não possuem o cartão verde.

    Ainda, durante algum tempo, é imperioso seguir com o isolamento social.

    ENTRETANTO, TODAVIA…

    Está na ordem do dia, que o poder público nacional tem a obrigação e o dever de, rapidamente:

    Esquecer por enquanto do ajuste fiscal;

    Priorizar a saúde dos Brasileiros;

    Também garantir subsídio em dinheiro às famílias carentes, ambulantes, feirantes e desempregados, através de novos programas sociais, preferencialmente aqueles já existentes;

    Chegar em socorro, com incremento financeiro às micro, pequenas e médias empresas, no sentido de garantirem os empregos existentes, como já é praticado na Alemanha.

    Por fim, mais uma vez na história, está provado que o “mercado”, tão endeusado por economistas de toda vertente, é incapaz de se contrapor a uma crise mundial como a do corona vírus. Servindo tão apenas para aumentar o poder dos detentores da riqueza.

    Em tempos de crise, recorre-se aos estados nacionais.

    Este é o capitalismo!

    Assim penso!

    Júnior Rebouças, 26/03/2020, São José de Mipibu

    Principal empresa de consultoria do mundo para avaliação de risco político, a Eurasia mudou para pior as perspectivas do Brasil. Até a pandemia do coronavírus, a consultoria acreditava que, apesar da atitude beligerante do presidente Jair Bolsonaro, o Congresso avançava para a aprovação de reformas que levariam a maior crescimento econômico, alimentando um ciclo virtuoso, a longo prazo, para o País. “Esse ciclo se quebrou”, diz Christopher Garman, diretor da consultoria para as Américas. “E poderemos ter um ciclo vicioso.” Segundo Garman, por causa dos desdobramentos da crise do coronavírus, o País pode correr, inclusive, o risco de um conflito institucional mais sério, se o presidente Jair Bolsonaro, em reação a um enfraquecimento, continuar a apelar à retórica antipolítica. Tudo vai depender, na sua avaliação, de como será a reação do Palácio do Planalto, nas próximas semanas, ao aumento da propagação da doença.

    LP LOCAÇÕES